Acerca de mim

A minha foto
Coimbra, Portugal

terça-feira

Síndrome de Tourette


Síndrome de Tourette é uma desordem neurológica ou neuroquímica caracterizada por tiques involuntários, reacções rápidas, movimentos repentinos (espasmos) ou vocalizações que ocorrem repetidamente da mesma maneira.
Esses tiques motores e vocais mudam constantemente de intensidade e não existem duas pessoas no mundo que apresentem os mesmos sintomas. A maioria das pessoas afectadas são do sexo masculino.
O início da síndrome, geralmente, manifesta-se na infância ou juventude, eventualmente atingindo estágios classificados como crónicos. Porém, no decorrer da vida adulta, frequentemente, os sintomas vão aos poucos se amenizando e diminuindo.
Mesmo assim, até hoje ainda não foi encontrada uma cura para a Tourette. Tratamentos médicos existem para amenizar os sintomas da síndrome, porém, o consenso entre os profissionais da área é de que os tratamentos precisam ser individualizados por causa das sempre presentes consequências adversas da receita e aplicação de medicamentos.
Os referidos tiques são movimentos bruscos involuntários que podem manifestar-se em qualquer parte ou conjunto de partes do corpo (barriga, nádegas, pernas, braços etc.), mas tipicamente eles ocorrem no rosto e na cabeça - no rosto em forma de caretas repetidas e na cabeça como um todo em forma de movimentos bruscos, repetidos, de lado-a-lado etc.
A cropalia enquadra aqueles indivíduos que, além de outros sintomas de Tourette, se vêem obrigados a repetir palavras obscenas e/ou insultos. Obviamente as consequências desse tipo de comportamento geralmente se traduzem em diferentes graus de desvantagens no âmbito social.

Sintomatologia
  1. Tiques motores múltiplos e pelo menos um tique vocálico precisam estar presentes por algum tempo durante a doença porém não necessariamente de forma simultânea;
  2. A periodicidade dos tiques é muitas vezes ao dia (geralmente em salvas), quase todo dia ou intermitentemente ao longo de, pelo menos, um ano;
  3. Há uma variação periódica no número, na frequência, no tipo e localização dos tiques; também a intensidade dos sintomas tem um carácter flutuante. Os sintomas podem chegar até a desaparecer por semanas ou alguns meses;
  4. Início antes dos 18 anos de idade.
Classificação dos tiques
  • Simples:
Motores - Piscar os olhos, repuxar a cabeça, encolher os ombros, fazer caretas;
Vocais - Pigarrear, limpar a garganta, grunhir, estalidos com a língua, fungar e outros ruídos.
  • Complexos:
Motores - Pular, tocar pessoas ou coisas, cheirar, retorcer-se e, embora muito raramente, actos de auto-agressão, tais como machucar-se ou morder a si próprio;
Vocais - Pronunciar palavras ou frases comuns porém fora do contexto, ecolalia (repetição de um som, palavra ou frase de há pouco escutados) e, em raros casos, coprolalia (dizer palavras ou expressões socialmente inaceitáveis; podem ser insultos, palavras de baixo calão ou obscenidades).

A margem de expressão de tiques ou sintomas assemelhados na ST é imensa. A complexidade de alguns sintomas frequentemente surpreende e confunde os familiares, amigos, professores e empregadores que dificilmente acreditam que as manifestações motoras ou vocais sejam "involuntárias".

Os portadores da Síndrome de Tourette podem ter problemas adicionais tais como:
  • Obsessões - representações, ideias ou pensamentos repetitivos, indesejados ou incómodos.
  • Compulsões - comportamentos repetitivos, frequentemente ritualizados em que o indivíduo tem a sensação de que algo precisa ser executado de uma forma muito específica e correcta, e novamente (ex.: tocar um objecto com uma mão e depois com a outra para que "as coisas permaneçam iguais").
  • Transtorno de deficit de atenção (com ou sem hiperactividade) ou transtornos hipercinéticos - as crianças podem apresentar sinais de hiperactividade antes do surgimento dos sintomas da doença.
  • Transtornos Específicos do Aprendizagem - em alguns casos podem estar presentes, tais como dislexia, dificuldades de escrita ou leitura, ou problemas na integração visual-motora.
    Problemas reactivos - resultantes das dificuldades diárias enfrentadas como estigmatização, baixa auto-estima proveniente dos sintomas, dificuldades de atenção acarretando baixo rendimento académico, são factores que podem levar a estados depressivos
    Distúrbios do sono - podem ocorrer como sonambulismo, dificuldade em conciliar o sono ou despertares frequentes.
    Dificuldade em controlar os impulsos - que pode resultar em comportamentos impróprios, explosivos ou excessivamente agressivos.
Tratamento
A maioria das pessoas com ST não é prejudicada de forma significativa pelos sintomas e por conseguinte não necessitam de tratamento medicamentoso. No entanto, existem medicações eficazes que auxiliam no controle dos sintomas quando estes prejudicam a vida do doente. Exemplos de fármacos úteis são haloperidol, pimozida, clonidina, clonazepam. Estudos recentes apontam a utilidade de novas drogas como risperidona e paroxetina como eficazes no manejo do componente impulsivo. Drogas como metilfenidato ou dextroanfetamina prescritos para hiperactividade podem ser prescritos com cautela. Sintomas obsessivo-compulsivos podem tratar-se com clomipramina , fluoxetina e outras medicações semelhantes.

Outras modalidades de terapia também podem ser úteis. Por vezes psicoterapia pode ajudar o indivíduo portador de ST e auxiliar a família a lidar com os problemas psicossociais que acompanham a doença.
Algumas técnicas cognitivo-comportamentais podem facilitar a substituição por um tique mais aceitável.
O uso de técnicas de relaxamento ou biofeedback podem ser úteis durante períodos prolongados de stress intenso.

Os alunos com ST têm diferentes necessidades educacionais?
Os estudantes com ST têm QI igual ao das outras crianças e a maioria deles tem bom desempenho académico numa classe normal para a sua idade. Algumas crianças poderão necessitar de um apoio educacional especial, quando tiverem dificuldades de aprendizagem associadas.
Veja mais vídeos sobre a Síndrome de Tourette:

Sem comentários:

Enviar um comentário