Acerca de mim

A minha foto
Coimbra, Portugal

sexta-feira

Astigmatismo

"Astigmatismo é o problema ocular mais diagnosticado nas crianças."
(Notícia da RTP de Junho de 2009)

O astigmatismo é uma alteração na visão devido a irregularidades na córnea ou na sua curvatura (mais oval), o que provoca uma alteração na refracção do olho. Os raios de luz não são projectados na retina no mesmo ponto, havendo um cruzamento dos raios em vários pontos causando uma visão desfocada ao perto e ao longe.

É uma doença hereditária, mas em certas situações pode ser consequência de um traumatismo ou infecção da córnea, causando uma cicatrização defeituosa. Também pode desenvolver-se ao longo dos anos (astigmatismo ligeiro). Uma pessoa pode ter em simultâneo astigmatismo e miopia ou hipermetropia.

Sinais e sintomas
No astigmatismo ligeiro os sintomas passam despercebidos a algumas pessoas.
Nos casos com maior grau de astigmatismo pode surgir:
- Cansaço ocular (astenopatia);
- Dores de cabeça (cefaleias);
- Visão desfocada.

Diagnóstico
O diagnóstico é feito pelo oftalmologista. Os exames de rotina feitos pelo oftalmologista são suficientes para confirmar o diagnóstico.

Tratamento
O médico pode achar desnecessário a correcção de astigmatismo ligeiro.
A correcção pode ser feita com óculos (lente cilíndrica) ou lentes de contacto. Ambos corrigem o trajecto dos raios de luz, de forma a focarem-se no mesmo ponto da retina. O médico pode aconselhar cirurgia ocular refractiva a laser ou ceratotomia astigmática.

O astigmatismo pode ser provocado por doenças oculares como a ceratocone (doença degenerativa onde a córnea vai ficando com a forma semelhante a um cone) ou calázio (tumefação da pálpebra devido a uma infecção). Nestes casos o problema é resolvido tratando a sua causa.

Os problemas de visão, e em especial os erros de refracção, quando não corrigidos, podem ter consequências devastadoras, como a cegueira. Para além do mais, sendo a aprendizagem predominantemente visual, a falta de correção prejudica seriamente o desenvolvimento de uma criança.

Fonte: Conhecer Saúde

Sem comentários:

Enviar um comentário