Acerca de mim

A minha foto
Coimbra, Portugal

segunda-feira

Estrabismo e Ambliopia

Na maioria dos casos, o estrabismo surge nos primeiros anos de vida, mas pode igualmente revelar-se subitamente na idade adulta. Caracteriza-se pelo desalinhamento dos olhos, e é uma situação que afecta 4% das crianças. O desvio pode permanecer e ser sempre aparente, ou pode aparecer e desaparecer, parecendo normal umas vezes, e anormal noutras. Um olho pode olhar em frente enquanto o outro está virado para dentro, para fora, para cima ou para baixo. Em alguns casos, o olho com desvio pode endireitar-se e o olho bom entortar.
Os dois tipos mais frequentes de estrabismo são endotropia, quando o olho desvia para dentro, e exotropia, quando o olho desvia para fora. A endotropia é a forma mais vulgar de estrabismo em crianças. As crianças que nascem com endotropia não aprendem a usar os dois olhos conjuntamente, e podem perder a visão do olho "torto" que não é usado.

A ambliopia ocorre aproximadamente em metade das crianças com estrabismo. As causas da ambliopia podem estar já presentes quando do nascimento da criança. O cérebro reconhecerá a imagem do olho que vê melhor, e ignora a imagem do olho desviado. As razões desta doença oftalmológica são várias e os erros refractivos (miopia, hipermetropia, astigmatisno) são uma delas.
Para tratar a tempo é necessário um exame oftalmológico entre os dois e os quatro anos de idade ou mais cedo. Alguns casos de ambliopia podem ser tratados tapando o olho com melhor visão nos primeiros anos de vida e o tratamento é frequentemente bem sucedido. Se o tratamento for retardado, a ambliopia ou visão reduzida pode tornar-se permanente. Em geral, o tratamento precoce da ambliopia conduz à recuperação da visão.

Causas e sintomas:
O estrabismo é causado pelo não alinhamento do eixo dos olhos. No entanto, a causa exacta deste desalinhamento não é completamente conhecida. Pode ter carácter hereditário e ocorre em ambos os sexos. O cérebro controla os músculos motores oculares. Isto explica que as crianças com paralisia cerebral, mongolismo, e hidrocefalia possam apresentar estrabismo, assim como na presença de um tumor cerebral. Se a visão dum olho é enevoada por catarata ou cicatriz na córnea, o olho poderá entortar.

O principal sinal do estrabismo é não olhar a direito e, por vezes, a criança pisca o olho torto em ambientes muito luminosos. Por vezes, há má percepção de profundidade, e algumas crianças inclinam a cabeça para manter o alinhamento dos olhos (torcicolo. Os pais por vezes ficam com a falsa impressão de que o estrabismo desaparece com o crescimento. Embora a fadiga e a doença possam piorar o estrabismo, as crianças só pioram com o crescimento.

O Tratamento
O objectivo do tratamento consiste em obter uma boa visão, endireitar os olhos, e desenvolver a visão binocular. O tratamento do estrabismo depende da causa do desalinhamento dos olhos, e pode ser dirigido para o desequilíbrio muscular, remoção de cataratas, ou outras situações que podem ser a causa do desvio.
Depois de um exame ocular completo, incluindo um estudo detalhado do interior dos olhos, o oftalmologista pode receitar óculos ou tratamentos médicos ou cirúrgicos. A oclusão do olho de boa visão para obrigar o olho desviado a ver, pode ser necessário.

1 comentário:

  1. Olá! eu tenho estravismo e sou amblíope. Durante muito tempo näo me aceitei como tal, achando-me feia e näo suportando a ideia de ser diferente. Consegui ingressar no ensino superior, mas por falta de confiança e covardia desisti. Fui uma das melhores alunas de piano na minha cidade e nem sequer consegui realizar o exame do quinto grau! Hoje sei que errei profundamente este tempo todo! Afinal sou bonita! hoje tenho amigos também amblíopes e cegos e estou a aprender a ser feliz!!!

    ResponderEliminar