Acerca de mim

A minha foto
Coimbra, Portugal

sábado

Musicoterapia

De acordo com a definição da World Federation of Music Therapy, musicoterapia é a utilização da música e/ou dos elementos musicais (som, ritmo, melodia e harmonia) pelo musicoterapeuta e pelo cliente ou grupo, num processo estruturado para facilitar e promover a comunicação, o relacionamento, a aprendizagem, a mobilização, a expressão e a organização (física, emocional, mental, social e cognitiva) para desenvolver potenciais ou recuperar funções do indivíduo, de forma que ele possa alcançar melhor integração intra e interpessoal e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida.

Segundo a Canadian Association for Music Therapy a musicoterapia é a utilização da música para auxiliar a integração física, psicológica e emocional do indivíduo e para o tratamento de doenças ou deficiências. Ela pode ser aplicada a todos os grupos etários em uma grande variedade de settings. A música possui a qualidade de ser não-verbal, mas oferece muitas oportunidades para a expressão oral e verbal.

A natureza da musicoterapia enfatiza uma abordagem criativa no trabalho terapêutico, possibilitando uma abordagem humanista e viável que reconhece e desenvolve recursos internos geralmente reprimidos do cliente. Os musicoterapeutas desejam ajudar o indivíduo a mover-se em direcção a uma maior autoconsciência e, num sentido mais amplo, a levar cada ser humano ao seu maior potencial.
É importante enfatizar que a música não é um curativo eficaz em si mesmo, mas que os seus efeitos terapêuticos resultam de uma aplicação profissional durante um processo terapêutico.

A musicoterapia permite:

  • Promove a livre expressão sonora: vocal, corporal e instrumental;
  • Melhora na comunicação;
  • Permite a integração grupal;
  • Favorece o estabelecimento de limites;
  • Melhora a percepção do outro e de si mesmo;
  • Ajuda a socialização;
  • Favorece a percepção sensorial;
  • Desenvolve a coordenação rítmica e motora;
  • Favorece a orientação espacio-temporal;
  • Melhora a memória, atenção, concentração;
  • Favorece a percepção sonora, corporal e ambiental;
  • Desenvolve a sensibilização;
  • Promove a criatividade e improvisação;
  • Ajuda a respiração e relaxamento;
  • Diminui o stress.
Áreas de aplicação clínica da musicoterapia:
  • Profilaxia - gestantes; crianças; adolescentes e terceira idade;
  • Distúrbios de conduta na infância e adolescência;
  • Stress;
  • Recursos humanos - empresas;
  • Área social;
  • Idosos - geriatria e gerontologia;
  • Área da saúde mental - autismo; psicoses; esquizofrenia; neuroses; fobias; síndrome do pânico; depressão, etc.;
  • Deficiências mentais; físicas; sensoriais e múltiplas;
  • Dependência química;
  • Distúrbios neurológicos;
  • Doentes em coma;
  • Pesquisas científicas;
  • Atraso neuropsicomotor;
  • Síndromes com comprometimento do desenvolvimento;
  • Área institucional e educacional;
  • Adultos “normais” que buscam um autoconhecimento, autocontrole, entre outros.

Fonte: Musicoterapia.psc

Sem comentários:

Enviar um comentário