Acerca de mim

A minha fotografia
Coimbra, Portugal

sexta-feira

A Pirâmide de Maslow

A Pirâmide de Maslow é uma teoria psicológica proposta por Abraham Maslow na sua obra "Uma teoria sobre a motivação humana" (em inglês, A Theory of Human Motivation) de 1943, que posteriormente ampliou. Maslow formula na sua teoria uma hierarquia de necessidades humanas e defende que, conforme se satisfazem as necessidades mais básicas, os seres humanos desenvolvem necessidades e desejos mais elevados.


Hierarquia de necessidades de Maslow
A hierarquia de necessidades de Maslow descreve-se com frequência como uma pirâmide que consta de cinco níveis: os quatro primeiros níveis podem ser agrupados como «necessidades de défice» (deficit needs ou D-needs); ao nível superior denominou-o «auto-actualização», «motivação de crescimento», ou «necessidade de ser» (being needs ou B-needs). «A diferença em que enquanto as necessidades de défice podem ser satisfeitas, a necessidade de ser é uma força impelente contínua».

A ideia básica desta hierarquia é que as necessidades mais altas ocupam a nossa atenção só quando se satisfizeram as necessidades inferiores da pirâmide. As forças de crescimento dão lugar a um movimento ascendente na hierarquia, enquanto as forças regressivas empurram as necessidades prepotentes para baixo na hierarquia. Segundo a pirâmide de Maslow disporíamos de:

- Necessidades fisiológicas
São necessidades fisiológicas básicas para manter a homeostasis (referente à saúde); dentro destas, as mais evidentes são:
• Necessidade de respirar, beber água, e alimentar-se.
• Necessidade de manter o equilíbrio do pH e a temperatura corporal.
• Necessidade de dormir, descansar e eliminar os desechos.
• Necessidade de evitar a dor e ter relações sexuais.
• Necessidades de segurança e protecção

Estas surgem quando as necessidades fisiológicas se mantêm compensadas. São as necessidades de sentir-se seguro e protegido; inclusivé desenvolver certos limites de ordem. Dentro delas encontram-se:
• Segurança física e de saúde.
• Segurança de emprego, de rendimentos e recursos.
• Segurança moral, familiar e de propriedade privada.

- Necessidades de afiliação e afecto
Estão relacionadas com o desenvolvimento afectivo do indivíduo, são as necessidades de associação, participação e aceitação. Satisfazem-se mediante as funções de serviços e prestações que incluem actividades desportivas, culturais e recreativas. O ser humano por natureza sente a necessidade de relacionar-se, ser parte de uma comunidade, de agrupar-se em famílias, com amizades ou em organizações sociais. Entre estas encontram-se: a amizade, o companheirismo, o afecto e o amor.

- Necessidades de estima
Maslow descreveu dois tipos de necessidades de estima, uma alta e outra baixa.
•A estima alta concierne à necessidade do respeito a um mesmo, e inclui sentimentos tais como confiança, concorrência, maestría, lucros, independência e liberdade.
•A estima baixa concierne ao respeito das demais pessoas: a necessidade de atenção, apreço, reconhecimento, reputação, estatus, dignidade, fama, glória, e inclusivé domínio.
A não satisfação destas necessidades reflete-se em uma baixa autoestima e o complexo de inferioridade

- Autorrealização ou auto-actualização
Este último nível é algo diferente e Maslow utilizou vários termos para o denominar: «motivação de crescimento», «necessidade de ser» e «autorrealização».
São as necessidades mais elevadas, acham-se no cume da hierarquia, e através da sua satisfação, encontra-se um sentido da vida mediante o desenvolvimento potencial de uma actividade. Chega-se a esta quando todos os níveis anteriores foram atingidos e completos, pelo menos, até certo ponto.

Pessoas autorrealizadas
Maslow considerou autorrealizados a um grupo de personagens históricos que estimava cumpriam determinados critérios: Abraham Lincoln, Thomas Jefferson, Mahatma Gandhi, Albert Einstein, Eleanor Roosevelt, William James, entre outros.
Maslow deduziu das suas biografias, escritos e actividades, uma série de qualidades similares; estimava que eram pessoas:
• centradas na realidade, que sabiam diferenciar o falso ou fictício do real e genuino;
• centradas nos problemas, que enfrentam os problemas em virtude das suas soluções;
• com uma percepção diferente dos significados e dos fins.

Nas suas relações com os demais, eram pessoas:
• com necessidade de privacidade, sentindo-se cómodos nesta situação;
• independentes da cultura e do meio dominante, baseando-se mais em experiências e julgamentos próprios;
• resistentes à enculturação, pois não eram susceptíveis à pressão social; eram inconformistas;
• com sentido do humor não hóstil, preferindo piadas de si mesmos ou da condição humana;
• boa aceitação de si mesmo e dos demais, tal como eram, não pretenciosos nem artificiais;
• frescura na apreciação, criativos, inventivos e originais;
• com tendência a viver com mais intensidade as experiências que o resto da humanidade.

Metanecessidades e metapatologías
Maslow também aborda de outra forma a problemática do que é autorrealização, falando das necessidades impulsivas, e comenta o que se precisava para ser feliz: verdade, bondade, beleza, unidade, integridade e trascendência dos opostos, vitalidade, singularidade, perfeição e necessidade, realização, justiça e ordem, simplicidade, riqueza ambiental, fortaleza, sentido lúdico, autosuficiência, e busca do significativo.

Quando não se colmatam as necessidades de autorrealização, surgem as metapatologías, cuja lista é complementar e tão extensa como a de metanecessidades. Aflora então um verdadeiro grau de cinismo, os desgostos, a depressão, a invalidez emocional e a alienação.

Características gerais da teoria de Maslow
• Só as necessidades não satisfeitas influem no comportamento das pessoas, mas a necessidade satisfeita não gera comportamento algum.
• As necessidades fisiológicas nascem com a pessoa, o resto das necessidades surgem com o transcurso do tempo.
• À medida que a pessoa consegue controlar as suas necessidades básicas aparecem gradualmente necessidades de ordem superior; nem todos os indivíduos sentem necessidades de autorrealização, devido a que é uma conquista individual.
• As necessidades mais elevadas não surgem na medida em que as mais baixas vão sendo satisfeitas. Podem ser concomitantes mas as básicas predominarão sobre as superiores.
• As necessidades básicas requerem para sua satisfação um ciclo motivador relativamente curto, em contraposição, as necessidades superiores requerem um ciclo mais longo.

Ciclo do processo
Maslow definiu na sua pirâmide as necessidades básicas do indivíduo de uma maneira hierárquica, colocando as necessidades mais básicas ou simples na base da pirâmide e as mais relevantes ou fundamentais na cume da pirâmide. À medida que as necessidades vão sendo satisfeitas ou conseguidas surgem outras de um nível superior ou melhor. Na última fase encontra-se com a «autorrealização» que não é mais que um nível de plena felicidade ou harmonia.

In Wikilingue

Sem comentários:

Enviar um comentário