Acerca de mim

A minha foto
Coimbra, Portugal

sábado

Família disfuncional

Família disfuncional define uma sociedade formada por indivíduos ligados por ancestrais em comum ou laços afectivos que se encontram em conflito, mau comportamento e mesmo abusando uns dos outros de forma contínua e regular. Crianças que crescem neste tipo de família entendem que às vezes acordos são normais e necessários. Famílias disfuncionais são geralmente resultado de adultos co-dependentes, e também afectadas pelo alcoolismo, abuso de drogas, e outros vícios parentais, com os pais maltratando ou não levando em consideração possíveis doenças mentais ou transtornos de personalidade, ou de pais emulando o comportamento de seus próprios pais disfuncionais ou experiências das suas famílias disfuncionais.

Os membros de uma família disfuncional têm sintomas comuns e protótipos de comportamento resultantes das suas próprias experiências dentro de uma estrutura familiar. A família pode ser afectada por vários factores.

Exemplos de família disfuncional
  • Rejeição (como recusar-se a reconhecer o alcoolismo de um pai ou de um filho adolescente; ignorar episódios de abuso sexual);
  • Falta de empatia entre os membros da família;
  • Falta de limites claros (como tomar como seu a propriedade de outros; toques inapropriados entre familiares);
  • Ordens e mensagens não muito claras;
  • Pais divorciados ou separados;
  • Comportamento adúltero ou promíscuo envolvendo os pais ou os filhos adolescentes;
  • Extremos em conflito (desde pequenas discussões até brigas terríveis).
 Estilos de pais disfuncionais
  • Manipuladores (pais narcisistas);
  • Abusadores (pais que abusam físico, verbal ou sexualmente de seus filhos para dominá-los);
  • Privadores
  • Dogmáticos ou como uma seita
  • Perfeccionistas
  • Apaziguadores
  • Síndrome de Münchhausen
Sintomas de famílias disfuncionais
  • Volatilidade
  • Discursos autoritários (crianças não são permitidas discordar com a autoridade ou questioná-la).
Sinais de pais nada saudáveis
  • Pais dogmáticos ou caóticos (disciplina dura e inflexível)
  • Infantilização (pais que colocam seus filhos na posição de pais, tendendo a ser carentes e incompetentes. Geralmente concordam com o abuso provocado pelo outro pai.) usando-se de meios físicos como consequência de arbitrariedade
  • Educam pelo medo
  • Amor condicional
  • Deificação (pais que transformam seus filhos em fiéis ou servos através de regras e papéis restritos)
Estilos de pais que causam famílias disfuncionais
  • Privação (pais que controlam por demais o amor, o dinheiro, a admiração, a atenção, ou qualquer outra coisa que seus filhos necessitem).
  • Negação de uma vida melhor (crianças não são permitidas a desenvolver seu próprio sistema de valores).
Efeitos nas crianças
Crianças que crescem numa família disfuncional têm adoptado um ou mais dos papéis básicos apresentados abaixo:

  • O Filho Bom – aquele que assume o papel de pai;
  • O Filho Problemático – aquele que é culpado pela maioria dos problemas e pode também ser cotado como responsável pela disfuncionalidade da família, tornando-se às vezes o único emocionalmente estável;
  • O Filho Ama – aquele que se torna responsável pelo bem emocional da família;
  • O Filho Perdido – aquele que é inconspícuo, quieto, que necessita de mais e recebe de nada; constantemente ignorado e escondido;
  • O Filho Mascote – aquele que é usado para distrair os demais dos problemas familiares;
  • O Filho Cabeça – aquele que se torna oportunista, capitalizando sobre as faltas dos seus próprios parentes para conseguir o que bem deseja.
Eles também podem:
  • Pensar somente em si mesmo para fazer sua infância diferente, supervalorizando o amor-próprio;
  • Desconfiar dos outros;
  • Dificuldade em expressar emoções;
  • Baixa auto-estima e auto-imagem prejudicada;
  • Dificuldade em formar relacionamentos saudáveis com os outros;
  • Sentir-se irado, ansioso, depressivo, isolado dos outros, ou sem-valor;
  • Perpétuar comportamentos disfuncionais nos seus próprios relacionamentos (principalmente nos filhos);
  • Perder a habilidade de brincar ou ser criança, e talvez “crescer rápido demais”.
  • Ensinados a viver longe das suas famílias.
Origem: Wikipédia

Sem comentários:

Enviar um comentário